No dia 18 de agosto tivemos uma palestra com a psicóloga Juliana Messias Gomes Moreira

Baseado no texto de Hélio José Guilhardi

A auto-estima é o produto de contingências de reforçamento positivo de origem
social. Assim, sempre que uma criança se comporta de uma maneira específica, e os pais
a conseqüenciam com alguma forma de atenção, carinho, afago físico, sorriso (cada uma
dessas manifestações por parte dos pais pode ser chamada de reforço social generalizado
positivo ou conseqüência positiva), estão usando contingências de reforçamento
positivo, estão gratificando o filho. Por outro lado, toda vez que uma criança se
comporta e os pais a repreendem, a criticam, se afastam dela, não a tocam, nem
conversam com ela (cada uma dessas manifestações por parte dos pais pode ser chamada
de estímulo aversivo ou conseqüência negativa), estão usando contingências coercitivas
ou punindo o filho. O uso de contingências reforçadoras positivas apresenta várias vantagens:1.Fortalece os comportamentos adequados do filho que são conseqüenciados dessa forma;
2. Produz maior variabilidade comportamental, pode-se dizer que a criança fica mais
criativa; 3. Desenvolve comportamentos de tomar iniciativa; 4. Produz sentimentos
bons, tais como satisfação, bem-estar, alegria, auto-estima etc..

Leave Your Reply